30316060

Vacinas indispensáveis na gravidez

Proteger a formação do feto e o desenvolvimento do bebê são as maiores preocupações das mulheres que estão grávidas ou planejam a gestação. Para isso, é preciso que você tome algumas vacinas durante a gravidez. O processo de fortalecimento da imunidade com as vacinas são essenciais para garantir a vida saudável da criança, ainda no útero, já que ela recebe anticorpos (células de defesa) preparados pela mãe e já que continuam sendo repassados durante o período de amamentação.

Quais são as principais vacinas na gravidez?

O Ministério da Saúde recomenda rotineiramente três vacinas para serem oferecidas para todas as gestantes:

  • Influenza
  • Hepatite B
  • Tríplice Bacteriana Acelular (dTpa)

Em casos específicos de contrair algumas doenças não tão comuns para a maioria das gestantes, é preciso se imunizar tomando vacinas para Hepatite A, Meningocócica Conjugada e da Covid-19. É importante ressaltar que as vacinas citadas deverão ser utilizadas de acordo com o histórico vacinal da paciente e com a avaliação do seu obstetra. Vamos falar um pouco mais sobre cada uma delas e quais seus benefícios. Confira!

Influenza

Protege contra os principais tipos de vírus influenza, que provocam a gripe. As gestantes são mais susceptíveis a apresentações graves dessa doença devido à baixa imunidade. Além de proteger contra o vírus da gripe comum, A e H1N1, seu objetivo é evitar complicações como bronquite e pneumonia. Deve ser tomada em dose única e pode ser tomada em qualquer etapa da gestação ou até 45 dias após o nascimento.

Hepatite B
A vacinação protege do vírus da hepatite B, causa de inflamação no fígado que pode cronificar e, nesse caso, provocar cirrose e câncer. Por isso, é muito importante a para evitar a transmissão da doença para o feto ou para o recém-nascido. É prescrita a partir do segundo trimestre, em três doses. Gestantes que ainda não tomaram a vacina devem receber três doses após o primeiro trimestre de gestação, com o intervalo de 60 dias entre elas.

Tríplice Bacteriana

Também chamada de vacina dTpa, ela protege contra difteria, tétano e coqueluche. Essa vacina permite a transferência de anticorpos ao feto, protegendo-o nos primeiros meses de vida até que possa ser imunizado. Graças a ela, o tétano neonatal, transmitido pelo uso de instrumentos contaminados no corte do cordão umbilical, foi erradicado. Hoje, sua importância também se deve ao aumento dos casos coqueluche em crianças até 1 ano de idade, com riscos de sérias complicações. É indicada entre a 27ª e a 36ª semanas de gestação e deve ser tomada em dose única.

Hepatite A
Embora não seja prioritária, essa vacina é indicada em casos em que as mulheres são ou se tornam suscetíveis à doença. Por exemplo, ao fazer uma viagem para local onde as condições sanitárias são precárias. É tomada em duas doses, a partir do segundo trimestre.

Meninogocócica

Em virtude da gravidade da meningite em recém-nascidos e bebês, essa vacina é recomendada para as gestantes quando é detectado um surto de casos na localidade. A doença pode ser causada por bactéria ou vírus, sendo a primeira mais grave e passível de imunização pela vacina.

Covid-19

A imunização contra a covid-19 se mostra necessária independente de ter ou não comorbidades. Dados até o momento disponíveis evidenciam que o risco de morte por Síndrome Respiratória Aguda (SRAG) é cerca de cinco vezes maior em não vacinados. Alguns especialistas indicam a vacinação de grávidas a partir, aproximadamente, de 12 semanas, ou três meses de gestação, para garantir maior segurança a mãe e bebê. No entanto, recomendamos que seu obstetra seja consultado.

Não são permitidas

Além de ficar atenta às vacinas na gravidez, é importante saber que algumas delas não são permitidas durante a gestação, podendo causar más formações no feto. Dentre elas, destacam-se a que protege do HPV, da caxumba, do sarampo e da rubéola. Sendo assim, a mulher que deseja engravidar deve se imunizar com antecedência. Se você curtiu este post, não deixe de assinar a nossa newsletter e ficar por dentro de mais novidades sobre saúde da mulher, gravidez, tratamentos e mais.

Revisado por Dr. Zeus Peron (CRM-CE 8775 | RQE 3371).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Gostou do nosso site? Acompanhe as nossas redes sociais:

×