30316060

Amenorreia: o que é e como não confundir com gravidez?

O ciclo menstrual da mulher, geralmente, dura 28 dias e suas três diferentes fases são controladas por hormônios — progesterona, LH, FSH e estrógeno. A duração pode variar entre 25 a 35, mas ciclos com intervalos menores ou maiores podem representar um problema para a saúde.

Amenorreia é o termo usado para a ausência de menstruação por 3 meses consecutivos para mulheres com ciclos regulados e por 6 meses consecutivos para ciclos irregulares. Nesses casos ela é chamada de secundária, visto que a mulher já menstruou. Para meninas que ainda não menstruaram até os 15 ou 16 anos a amenorreia é chamada de primária.

Saiba neste post quais são as causas de amenorreia e como diferenciá-la de um atraso menstrual.

Quais são as causas de amenorreia?

A amenorreia primária está relacionada a causas anatômicas ou hormonais. No primeiro caso a mulher pode ter uma agenesia (ausência) do trato genital ou de parte dele ou um útero em que há obstrução à saída do fluxo menstrual. Nas alterações hormonais a menina pode estar em fase de puberdade tardia e ter alterações nos hormônios da hipófise, hipotálamo e outros centros de comando do organismo.

Já a principal causa de amenorreia secundária em mulheres em idade fértil é a gravidez. Para as que estão acima dos 45 anos a causa mais comum é a menopausa. Para confirmar a menopausa, precisa-se completar 12 ciclos (ou 1 ano) sem menstruar.

No entanto, existem várias outras alterações que podem cursar com a ausência menstrual. A síndrome do ovário policístico, por exemplo, é uma doença endócrina em que os níveis de LH estão altos, o que impede a ovulação e consequentemente a menstruação.

Os extremos de peso (obesidade e desnutrição) também influenciam no ciclo menstrual, uma vez que as células de gordura funcionam como depósitos de estrógeno, hormônio que é necessário para a produção de progesterona ao mesmo tempo que é antagonista. Ou seja, altos níveis de estrógeno (obesidade) podem inibir a produção de progesterona, assim como baixos níveis (desnutrição) não permitem a sua produção. Sendo assim, mulheres com anorexia, bulimia e atletas podem ter amenorreia, assim como as que estão acima do peso.

Outras causas são o estresse, amamentação, alterações na tireoide e uso de medicamentos, como alguns corticosteroides, antidepressivos e quimioterápicos.

Como diferenciar a amenorreia de um atraso menstrual?

Quando a mulher está em idade fértil e teve relações sem proteção, a primeira hipótese é a gravidez. Dessa forma, é indicado que seja feito um exame no laboratório para medir os níveis de beta-hcg, hormônio produzido durante a gestação. O atraso menstrual também pode acontecer quando se esquece de tomar a pílula ou troca-se o anticoncepcional. No entanto, essa situação regulariza-se em cerca de no máximo 2 meses.

Se o exame não indicar a gravidez ou se a mulher não teve relações nas últimas semanas é preciso investigar quais podem ser as causas da amenorreia. Lembre-se que para caracterizar um quadro de amenorreia é preciso que a mulher tenha 3 ciclos ausentes se forem regulares ou 6 se irregulares.

Para tanto, o médico ginecologista pede alguns exames que estão relacionados às queixas da paciente. Dentre eles pode-se citar dosagem de hormônios e ultrassom de órgãos genitais.

Entendeu o que é amenorreia e como acontece a investigação para diferenciá-la de um atraso menstrual? Então, se gostou deste post, siga a gente no Instragram e fique por dentro de mais artigos sobre saúde!

Revisado por Dr. Evangelista Torquato (CRM-CE 5688 | RQE 6858) e Dra Raquel Mattos (CRM-CE 14268 | RQE 8013).

Tagged with:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou do nosso site? Acompanhe as nossas redes sociais:

WhatsApp chat