30316060

Aborto espontâneo: conheça as causas e saiba como identificar

A gravidez é um momento que, geralmente, é muito esperado pelos futuros papais. O fato é que, infelizmente, muitas gestações estão sujeitas a abortos espontâneos e, dependendo de alguns fatores maternos e externos, o abortamento pode ou não ocorrer com mais frequência. Confira o conteúdo a seguir e aprenda um pouco mais sobre esse delicado tema e e saber como identificá-lo .

O que é o aborto espontâneo?

O aborto espontâneo é quando uma gestação é interrompida naturalmente pelo próprio organismo da mulher. Para se enquadrar nessa definição, o feto tem que ter menos de 500 gramas e a intercorrência precisa acontecer até a 20ª semana de gravidez, pois, a partir disso, já seria considerada como morte fetal por prematuridade.

O quadro se transforma em aborto de repetição se ocorrer por mais de duas vezes consecutivas, seguindo todas as características acima. Essa é uma das situações de mais alta complexidade na reprodução humana, sobretudo pelo ponto de vista da psicologia, visto que é algo que tende a ser bastante traumático para o casal.

Quais são as principais causas do aborto espontâneo?

Entre as principais causas do aborto espontâneo estão genes ou cromossomos anormais, que fazem com que o feto não se desenvolva de uma maneira normal. Problemas genéticos no bebê são erros que vão se sucedendo conforme o embrião vai se dividindo e crescendo, não sendo, obrigatoriamente, herdados dos pais.

As condições de saúde materna também precisam entrar nessa equação, pois o estado de saúde da mulher também pode levar a abortos. Entre os principais exemplos, podemos incluir a diabetes descontrolada, infecções, distúrbios hormonais, hiper ou hipotireoidismo, problemas no útero, trombofilias e doenças autoimunes.

Como reconhecer um aborto espontâneo?

O aborto espontâneo, embora possa ocorrer até a 20ª semana de gravidez, geralmente acontece antes da 12ª. Eventualmente, ele pode passar despercebido, sobretudo se for muito no início da gestação. Entretanto, o mais comum é que seja acompanhado de alguns sintomas importantes.

Entre eles, estão os sangramentos vaginais, que podem ocorrer acompanhados de cólicas ou não. A dor lombar ou abdominal também podem se fazer presentes, assim como a eliminação de um coágulo de sangue ou jatos de líquidos que saem do canal vaginal.

Outro ponto importante a ser percebido é a diminuição dos sinais de gravidez, como a perda da sensibilidade nas mamas ou o desaparecimento de náuseas. Vale lembrar que esses são sinais de alerta e a maioria das mulheres que experimentam sangramentos vaginais no primeiro trimestre têm gestações bem-sucedidas.

Gostou de aprender um pouco mais sobre o aborto espontâneo? Então confira também nosso artigo sobre as 4 causas mais comuns para os abortos de repetição!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou do nosso site? Acompanhe as nossas redes sociais:

WhatsApp chat