30316060

Incidências de uma gravidez múltipla não natural

Se uma gravidez por fecundação natural já envolve profundas mudanças físicas, emocionais e sociais, a proveniente de reprodução assistida não teria consequências menores. Uma consequência comum dos tratamentos é o aumento da incidência de gêmeos, que ocorre em aproximadamente 30% dos casos. Em uma fertilização in vitro, são transferindo 2 ou 3 embriões para ampliar as chances reais de gravidez, ocasionando 20% a 35% de gestação múltipla. Na fecundação normal, esse percentual é de apenas 1%.

As reações quando esse tipo de gestação é confirmada são das mais variadas: alegria, medo, tristeza, preocupação para os médicos. Sim, preocupação, pois nas gravidezes múltiplas, há uma maior probabilidade de partos prematuros e, consequentemente, de fetos imaturos e/ou de baixo peso. A gravidez múltipla também pode trazer complicações maternas três vezes mais frequentemente comparada a uma gestação única. “Apesar de ser desejada por muitos casais, nós sempre trabalhamos para ter a gestação de um único bebê saudável, porque isso diminui os riscos tanto para mãe, quanto para o bebê”, explica o Dr Evangelista Torquato.

A orientação para parto cesariano é indicada na maioria das gravidezes gemelares para reduzir alguns dos riscos citados acima. Há uma tendência mundial em se transferir um único embrião, para diminuir a diferença entre partos saudáveis e não-saudáveis, em especial em países onde o poder público custeia os tratamentos do casal. Apesar de possíveis preocupações na gestação múltipla advindas de reprodução assistida, não existe incidência de alterações no desenvolvimento cognitivo das crianças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou do nosso site? Acompanhe as nossas redes sociais:

WhatsApp chat