Infertilidade masculina: 4 tratamentos para homens que não podem ter filhos

O sonho da paternidade não precisa ser abandonado! A medicina reprodutiva está em constante evolução e oferece tratamento para infertilidade masculina.

A maior parte dos homens tem seu potencial fértil reduzido devido a condições reversíveis como a varicocele, varizes do testículo que comprometem a qualidade e quantidade dos espermatozoides. Alterações genéticas, infecções testiculares e prostáticas são outras possíveis doenças que pode ter reflexo sobre o potencial reprodutivo dos homens. A azoospermia (ausência de espermatozoides) é um último grau de comprometimento do testículo e necessita de avaliação especializada.

Se o homem já investigou e descobriu que não pode ter filhos naturalmente mesmo após o tratamento com medicamentos, é necessário realizar algum dos tratamentos de reprodução. Acompanhe este artigo e conheça os métodos mais comuns:

1. Procedimentos cirúrgicos

Nas situações em que a causa da infertilidade é varicocele ou vasectomia realizada anteriormente, é possível reverter o quadro com o tratamento cirúrgico.

Varicocele

Na varicocele, o homem apresenta varizes nas veias da região dos testículos. Ou seja, elas se dilatam e comprometem a drenagem no local, um problema que compromete os espermatozoides.

O tratamento é uma microcirurgia, realizada com anestesia geral ou raqui. Com o uso de um microscópio, essas veias são interrompida e a drenagem de sangue do testículo volta ao normal.

Reversão de vasectomia

Alguns homens se submetem à vasectomia como método contraceptivo no planejamento familiar. Essa cirurgia consiste na interrupção da passagem dos espermatozoides pelos canais deferentes, que fazem esse transporte dos testículos até sua saída na ejaculação. Porém, muitos podem se arrepender da decisão e realizar sua reversão, chamada de vaso-vasostomia ou vaso-epididimostomia – a depender do local em que a nova conexão é feita, trazendo de volta a fertilidade.

2. Inseminação intrauterina com capacitação espermática

Trata-se de um preparo laboratorial do sêmen, selecionando os espermatozoides com mais viabilidade e motilidade e separando elementos nocivos, como leucócitos, espermas mortos e bactérias.

O objetivo é tornar o espermatozoide “capacitado” para fecundar o óvulo. Por isso, essa amostra concentrada é utilizada na inseminação uterina.

3. Fertilização in vitro (FIV) com injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI)

Quando a causa da infertilidade do homem não pode ser revertida por procedimento cirúrgico ou com medicamentos, a fertilização in vitro é indicada.

Na FIV, é realizada a indução da ovulação e subsequente captação dos óvulos. Depois, é feita a coleta de espermatozoides por meio da masturbação ou extração cirúrgica. Assim, com óvulo e espermatozoide, ocorre a fertilização em laboratório.

Por meio do método ICSI (Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoide), uma agulha muito fina é utilizada para inserir um único espermatozoide no óvulo. O melhor espermatozoide é selecionado de acordo com sua motilidade e morfologia. São analisadas a forma e a estrutura interna, por meio de um microscópio de alta resolução que permite a sua visualização com um aumento de até 8 mil vezes (SUPER-ICSI), facilitando a seleção. Quando os óvulos são fecundados e se forma o embrião, ocorre a transferência para o útero da mulher.

O tratamento para infertilidade masculina tem grandes chances de sucesso, se realizado por médicos capacitados e clínicas que dispõem de tecnologias avançadas. Se esse for o seu caso, procure ajuda médica com um andrologista, veja qual método é mais indicado para você e realize seu desejo de ter filhos.

Ficou interessado nas técnicas de reprodução assistida? Entre em contato com a nossa equipe de especialistas e veja as opções de tratamento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou do nosso site? Acompanhe as nossas redes sociais: