30316060

Endometriose: saiba identificar os principais sintomas

A endometriose atinge cerca de 6,5 milhões de mulheres no Brasil e no mundo, essa estimativa é de 176 milhões de pessoas que possuem a enfermidade. O diagnóstico para a doença deve ser feito por meio de exames e é importante o acompanhamento médico para amenizar os sintomas.

Se você ainda tem dúvidas sobre a doença e quer saber mais, leia nosso texto e fique por dentro das informações mais relevantes sobre a endometriose. Confira:

O que é a endometriose?

É uma doença que atinge o endométrio e está relacionada ao crescimento anormal desse tecido. Todos os meses o corpo da mulher passa por um processo de preparação para uma possível gravidez, por isso, o endométrio fica mais espesso para que o óvulo se estabeleça dentro dele. Quando não ocorre a gravidez, o tecido é eliminado e expelido durante o período menstrual.

Durante a menstruação, esse sangue migra para dentro da cavidade abdominal, atingindo outros órgãos da região pélvica, como ovários, trompas, bexiga e intestino. As células endometriais deveriam ser eliminadas pelo sistema imunológico da paciente. No entanto, em mulheres portadoras de endometriose elas conseguem se desenvolver fora da cavidade uterina.

Quais são os sintomas?

Os sintomas da endometriose variam de acordo com cada organismo e algumas pacientes podem não ter sinais da doença até tentar engravidar e se deparar com a infertilidade. A dor pélvica, que muitas vezes está associada à menstruação, é um dos sintomas mais conhecidos da doença. Conheça outros sintomas:

  • cólica muito forte ou que está aumentando de intensidade com o passar dos anos;
  • cólica fora do período menstrual;
  • dor na região pélvica;
  • dor ao urinar;
  • dificuldade para engravidar;
  • mudança do hábito intestinal durante o período menstrual (constipação ou fezes amolecidas);
  • dor durante a relação sexual;
  • fadiga.

Conhecer o próprio organismo e ficar atenta aos sintomas é essencial para que você busque o diagnóstico precoce da endometriose e consiga o tratamento necessário para a doença.

Quais os tratamentos disponíveis?

A endometriose é considerada uma doença crônica e não tem cura, mas há alguns tratamentos que podem ser utilizados para amenizar os sintomas. O tratamento cirúrgico é indicado para remover focos da doença ou, quando necessário, retirar órgãos da região pélvica que tenham sido afetados.

O uso de medicamentos no tratamento da endometriose pode ajudar a aliviar a dor de cólicas menstruais e sangramentos intensos. São utilizados análogos de GNHR, analgésicos, anti-inflamatórios e outros medicamentos.

Para portadoras de endometriose acometidas pela infertilidade podem recorrer a fertilização in vitro para buscar o sonho da maternidade. O tratamento de reprodução assistida pode ou não ser associado ao tratamento cirúrgico dependendo do histórico clínico da paciente.

Metade das pacientes diagnósticas com endometriose conseguirá engravidar natural. Entretanto, a outra metade enfrentará a dificuldade para conceber. A doença pode dificultar a implantação dos embriões e a qualidade da reserva ovariana da paciente e, por isso, precisa de um acompanhamento especializado.

Há risco de complicações?

Mulheres portadoras de endometriose tem um risco aumentado para o desenvolvimento de câncer de ovário. Apesar desse tipo de câncer ser pouco frequente, esse dado deve alertar a paciente a manter acompanhamento periódico com ginecologista e hábitos de vida saudável, como não fumar, controlar o peso e ter uma dieta rica em frutas e legumes.

Outras complicações estão associadas com a doença, como dores fortes na região pélvica e endometriomas (cistos instalados na pélvis).

A endometriose afeta uma em cada 10 mulheres, por isso é importante que você saiba quais são os sintomas e os tratamentos disponíveis. Procure a orientação de um médico especialista para saber quais procedimentos são os mais indicados em seu caso.

Gostou deste conteúdo? Que tal aprender mais sobre o assunto lendo a Revista Fertilis? Nesta edição você encontrará informações sobre a endometriose e outros temas relacionados. Boa leitura e até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou do nosso site? Acompanhe as nossas redes sociais: