Dicas de como preservar a fertilidade feminina

Muitas mulheres não sabem, mas existem várias maneiras de preservar a fertilidade feminina por mais tempo. São hábitos e atitudes simples, que aumentam as chances da maternidade. Para quem sonha por uma gravidez futura tranquila, ou simplesmente quer ter uma vida mais saudável, o especialista em reprodução humana lista algumas dicas:

• Pare de fumar: a fertilidade é reduzida em 25% nas mulheres que fumam até 20 cigarros ao dia, e 43% naquelas que fumam mais de 20 cigarros, ou seja, o declínio da fertilidade tem relação direta com a dose de nicotina. Além disso, o tabagismo acarreta uma série de doenças, como o câncer.

• Diminua o consumo de álcool: pesquisa apresentada na Conferência Anual da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva, realizada em Boston, EUA, descobriu que mulheres que consomem bebidas alcoólicas nos meses antes de começar o tratamento de fertilidade podem reduzir em dois terços a capacidade engravidar, mesmo com o consumo em quantidades pequenas de álcool, como três taças de vinho por semana.

• De olho na balança: mulheres que sofrem com obesidade mórbida têm mais dificuldades para engravidar, revelou estudo realizado pela Brown University Shool of Medicine, nos Estados Unidos. Magreza excessiva também provoca distúrbios hormonais que podem afetar a fertilidade. Por isso, para quem quer engravidar, o ideal é manter o peso com uma dieta saudável, sem esquecer da prática de exercícios.

• Sem estresse: Hoje já é possível afirmar a ligação do estresse com as regiões nervosas reguladoras dos hormônios. Nas mulheres, o estresse pode afetar as funções ovarianas, alterar o ciclo menstrual e até mesmo parar a menstruação.

• Tenha uma vida sexual saudável: o uso de preservativos nas relações sexuais previne as chances de contrair uma DST, prevenindo, assim, inflamações dos órgãos sexuais.

As práticas saudáveis, no entanto, não devem se restringir apenas às futuras mamães, como faz questão de frisar o Dr. Evangelista Torquato. “Os maus hábitos também podem comprometer não só a quantidade, mas a qualidade dos espermatozoides”, explica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou do nosso site? Acompanhe as nossas redes sociais: